Convite à contemplação

24/10/2016 - Arquitetura e Decoração
Fotos por: Jomar Bragança

A vista de tirar o fôlego foi o ponto de partida para o projeto de arquitetura desta casa de 1.000 m2 de área construída, em terreno de 1.670 m2 com declive acentuado, num condomínio da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Para driblar a topografia do terreno, a arquiteta Márcia Carvalhaes projetou a construção em três níveis, privilegiando a integração entre os ambientes interno e externo e a paisagem.
“A casa é um convite para contemplar a vista, que é deslumbrante. Por isso, os espaços integrados da área social possuem grandes vãos de vidro que se abrem para a área de lazer e o jardim”, explica. Aliás, aproveitar bem o cenário das montanhas foi um pedido dos clientes – um casal com três filhos pequenos.
A construção segue a linha moderna. A fachada, por exemplo, mistura panos de alvenaria, revestidos de pedra e textura, e telhado aparente, que demarca o acesso principal. O desejo do casal era ter uma morada com jardim na frente, aproveitando as árvores existentes no local. A solução da arquiteta foi criar uma área de deck no afastamento frontal do terreno e uma arquibancada para alcançar o nível da rua.
A área íntima, instalada nesse andar, também é voltada para a paisagem e comporta suíte máster, com 63 m2, e três minissuítes com closet. Do corredor, se avista, no andar inferior, o living com pé-direito duplo e acesso direto à área social e de lazer, compreendendo sala de jantar e de estar, home theater, varanda, espaço gourmet com spa e piscina. Abaixo desse nível, mais ambientes: ampla suíte de hóspedes, quarto de brinquedos, banheiro e outro home.
No detalhamento de interiores, elementos clássicos e modernos se misturam desde os revestimentos até os móveis escolhidos. Toda a marcenaria foi desenhada pela profissional, de forma a otimizar ainda mais os espaços sociais e de lazer, sem deixar o charme de lado.

Texto: Miriam Gomes Chalfin
Projeto de arquitetura e decoração: Márcia Carvalhaes